16 de maio de 2016 eventoBCH

Brasil compartilha com América Latina suas melhores práticas em governança hospitalar

Foi pela busca da governança e assertividade na gestão hospitalar que médicos, CEOs, CMOs, engenheiros clínicos, e outros profissionais da alta hierarquia da administração de hospitais concordaram em reunir-se, há pouco mais de três anos. Formaram um seleto clube e desde então, uma vez por mês, estão juntos para trocarem informações sobre aprendizados e lições que o cotidiano da gestão hospitalar impõe. Benchmarking de gestão e governança para executivos do setor de saúde, pública e privada, na definição da mentora e idealizadora do projeto, Tania Machado.

Em sua 40ª edição, o Business Club Healthcare (BCH) se prepara para levar para a América Latina as melhores práticas e os debates que aqui no Brasil estão contribuindo para a “eficiência, enriquecimento e busca contínua da melhoria do setor de saúde”, avalia a diretora de Vida e Saúde da Deloitte Touche Tohmatsu, Juliana Curvello, que é participante do BCH. “O modelo de debates proposto pelo Business Club Healthcare eu ainda não conhecia. Seu diferencial é conseguir reunir os profissionais e ajudá-los a ampliar a visão da gestão das instituições de saúde, compartilhar modelos de sucesso, conhecer soluções do mercado e estimular a discussão de caminhos para melhorias comuns”, diz Juliana.

Questionada sobre a quebra de paradigmas que o BCH proporcionou ao longo de sua existência, Tania explica que os encontros promovidos pelo clube acontecem dentro dos hospitais, que são os anfitriões e recebem profissionais de outros hospitais para compartilharem experiências. “Isso é uma inovação para o setor, derrubamos muros, aproximamos concorrentes. Nenhum queria visitar a casa do outro e muito menos expor sua gestão e o clube propicia isso. É um grande avanço”, ressalta a presidente do BCH.

Tania Machado
A troca de experiências minimiza erros, reduz custos para os hospitais, a vivência ajuda a apontar caminhos para a melhor gestão e governança. O hospital que já passou por situações que interessam aos participantes do clube expõe quais foram os custos, os erros e acertos na implementação de um projeto, as lições aprendidas e os impactos nos resultados. É este o formato dos encontros. “O benchmarking para os executivos da área de saúde é a possibilidade de reduzir custos e impactos financeiros para os negócios, erros que talvez não seriam evitados sem a troca de experiências”, diz Tania.

Na avaliação do diretor executivo dos hospitais Bandeirantes e Leforte, Rodrigo Lopes, o trabalho desenvolvido pelo Business Club Healthcare atende a necessidade de uma participação cada vez mais significativa dos líderes, na qualidade do sistema de saúde do país. “Mais do que debater, os encontros promovidos pelo clube proporcionam a troca de informações e contribuem, diretamente, com questões que impactam a dinâmica e desempenho de nossas rotinas. Planejamento estratégico, controle de processos e custos, gestão do capital humano, desafios das áreas de OPME e compras, enfim, são tratativas presentes em nosso dia a dia”, explica Lopes, que completa: “Em termos de paradigma, tenho certeza de que os ganhos vão além da gestão, eles refletem diretamente na qualidade assistencial, nas políticas de qualidade e na excelência assistencial ao paciente”.

Deixe uma resposta